Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Comentários recentes

  • fpeneiras

    A zona de lazer da ponte romana de Monforte foi to...

  • Unknown

    Faça uma pesquisa sobre o periodo histórico do fil...

  • Mylena Souza

    Não sei se já viram esta historia bem feita . No N...

  • João Corbellini

    Está dito acima . O muro foi construído para prote...

  • Fabio Dias

    Como nao entendo muito, sempre tive duvidas de ond...



subscrever feeds



Philippus II

20.11.14
PHILIPPUS II
(Marcvs Ivlivs Severvs Philippvs)
Imperador - 247 a 249 d.C.



Marcus Julius Severus Philippus era filho do imperador Philippus I e sua esposa Otacilia Severa. Tinha apenas sete anos quando seu pai se tornou imperador e deu-lhe o título de caesar. Em 247 d.C. foi elevado a augustus. Quando Philippus I foi morto na batalha de Verona durante a luta pelo poder mantida contra Trajanus Decius, Philippus II distribuiu gratificações para as tropas e dinheiro para os cidadãos de Roma para celebrar sua ascensão ao trono. Esta generosidade não impediu que a guarda pretoriana o matasse no Outono de 249.

Muitas das moedas de Philippus II se agraciam com bonitos retratos e primorosa arte no reverso, embora ele fosse só um caesar e um secundário imperador. As moedas cunhadas com o seu nome coincidem na legenda com as de seu pai, mas de fácil distinção devido ao retrato juvenil de Philippus II.

Autoria e outros dados (tags, etc)

PHILIPPUS I
(Marcvs Ivlivs Philippvs)
Imperador - 244 a 249 d.C.

Filipe, o árabe



Marcus Julius Philippus nasceu por volta de 204 d.C. em Idumea (Arábia), mas o início de sua vida é obscuro. De carácter muito ambicioso, tornou-se prefeito pretoriano após a morte de Timesiteus, e imperador depois do assassinato de Gordianus III, morto pelas tropas descontentes, devido às diversas sabotagens instigadas por si sobre o jovem predecessor no início de 244 d.C. Logo de seguida indicou seu filho, Philippus II, para o cargo de caesar, e, abandonando a campanha contra os persas, fazendo uma paz pouco honrosa com Shapur I, voltou rapidamente para Roma para consolidar o seu reinado.

Em 246, realizou campanhas no Danúbio com sucesso. Em 247, fez seu filho augustus, e em 248 promoveu os últimos Jogos Seculares (Ludes Saeculares), celebrando a fundação de Roma por Rómulo e Remo. Centenas de animais exóticos foram enviados desde as mais remotas partes do Império e mostrados na arena do circo.
Uma série de usurpações abalou sua confiança, e uma rebelião estalou entre as legiões acampadas no Danúbio. Trajanus Décius foi indicado para enfrentar a situação, tendo este tido tanto êxito que as legiões o declararam imperador em 249. Philippus I ao conhecer a situação partiu ao encontro de Décius para o aniquilar mas foi derrotado na batalha perto da cidade de Verona, tendo sido possivelmente assassinado pelas suas próprias tropas; após sua morte, a guarda pretoriana, em Roma, assassinou seu filho.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Gordianus III

13.05.14

GORDIANUS III
(Marcvs Antonivs Gordianvs Sempronianvs)
Imperador - 238 a 244 d.C.

Gordiano III

Nascido a 20 de dezembro de 224 d.C. em Roma, Marcus Antonius Gordianus Sempronianus, neto por linha materna de Gordianus I e sobrinho de Gordianus II, tornou-se caesar e depois imperador, com a idade de treze anos, após a morte de Maximinus I e os assassinatos de Balbinus e Pupienus pela guarda pretoriana, sendo elevado sobre um escudo para poder ser visto e vitoriado em jubileu pelo povo de Roma.

No princípio, o governo esteve a cargo de sua mãe, Maecia Faustina. De 238 a 241, ele e seus conselheiros seguiram a política de Gordianus I. Em 241, Timesiteus foi nomeado prefeito pretoriano, e Gordianus III casou-se com sua filha, Tranquilina, formando assim um triunvirato que corrigiu muitos dos problemas do sistema imperial, descontrolados desde os tempos de Severus Alexander.

Foi um período tranquilo durante os seis anos de governação, sendo de assinalar uma pequena rebelião em África no ano de 240 d.C. que foi rapidamente sufocada. Desde os tempos de Marcus Aurelius que não havia em Roma um período de tranquilidade e optimismo tão elevado.

Em 242, após uma invasão pelo rei persa Shapur I na Síria e Mesopotâmia, Gordianus III realizou uma campanha contra os persas com Timesiteus, mas, depois de uma série formidável de vitórias recuperando a cidade de Antioquia e a reconquista completa da Mesopotâmia, Timesiteus ficou doente, possivelmente envenenado, e morreu em 243. Seu sucessor M. Iulius Philippus, posteriormente imperador Philippus I, cobiçava o poder, e por isso Gordianus III foi assassinado por soldados no início de 244 d.C. em Circessium (Zaitha, perto de Eufrates).

Autoria e outros dados (tags, etc)

BALBINUS
(Decimvs Caelivs Calvinvs Balbinvs)
Co/Imperador com Pupienus - 238 d.C.

Balbino


O Senado, apoiou o levantamento contra o governo tirânico do imperador Maximinus I, encabeçado por Gordianus I e II. Após a morte destes dois imperadores em África e, conhecendo as intenções de Maximinus I de marchar com um exército contra Roma, elegeu em 22 de Abril de 238 d.C. como co-imperador, Decimus Celius Calvinus Balbinus juntamente com Pupienus.

Balbinus era um patrício, senador em Roma e foi encarregado do controle da administração civil da capital do império, assim como o governo sobre o povo e a guarda pretoriana. Pupienus encarregou-se das forças armadas com o qual derrotou Maximinus I.

Com a derrota e a morte de Maximinus I (morto pelas suas próprias tropas) o poder dos dois imperadores senatoriais parecia assegurado. Por imposição popular, nomearam como sucessor do império, Gordianus III, filho e neto respectivamente de Gordianus II e Gordianus I que apenas contava com três anos de idade. `

Mas estes imperadores não estiveram muito tempo no poder, a guarda pretoriana, insatisfeita, invadiu o palácio e assassinou os dois noventa e nove dias depois de sua ascensão.

PUPIENUS
(Marcvs Clodivs Pupienvs Maximvs)
Co/Imperador com Balbinus- 238 d.C.

Pupieno


Marcus Clodius Pupienus Maximus era de origem humilde, mas teve uma carreira ilustre, servindo como procônsul na Ásia e prefeito urbano.

Senador com grande experiência militar, e após as mortes de Gordianus I e Gordianus II, Pupienus foi, juntamente com Balbinus, eleito imperador pelo temeroso Senado Romano a 22 de Abril de 238 d.C, para a defesa de Roma frente ao vingativo retorno de Maximinus I.

Enquanto Balbinus tomava a seu cargo o controle da administração civil do Império, Pupienus encarregou-se das forças armadas com as quais derrotou Maximinus I.

O reinado conjunto durou noventa e nove dias, durante os quais Gordianus III foi indicado para caesar. Pupienus e Balbinus foram mortos pela guarda pretoriana descontente a 29 de Julho de 238 d.C.

Sucedeu-lhes Gordianus III

Autoria e outros dados (tags, etc)

GORDIANUS II AFRICANUS
(Marcvs Antonivs Gordianvs Sempronianvs Romanvs Africanvs)
Imperador - 159 d.C. a 238 d.C.

Gordiano II


 

 

 

 

Gordianus nasceu por volta de 192 d.C., e foi cônsul no reinado de Severus Alexander. Tornou-se imperador juntamente com seu pai, Gordianus I, após a rebelião dos proprietários de terras africanas, em 238. Seu reinado durou apenas vinte e um dias: morreu na batalha contra Capelianus, governador da Numídia e partidário de Maximinus I.

De seu nome completo Marcus Antonius Gordianus Sempronianus Romanus, diz-se que Gordiano II era gordo, e que possuia 22 concubinas, das quais tinha vários filhos. Gostava também de coleccionar livros e de escrever. Gordianus II tornou-se Imperador juntamente com o seu pai (Gordianus I), devido à Revolta dos impostos no Norte de África.

Gordianus II possuia os mesmos títulos que seu pai, com a excepção do pontifex maximus. Em 19 de Março de 238 seu pai faz dele Augustus, e pouco tempo depois é enviada uma delegação a Roma, para conquistar apoiantes e matar os de Maximinus. A primeira acção da delegação foi assassinar o Prefeito da Guarda Pretoriana Vitalianus, um leal amigo do tão odiado Maximinus. Assassinado Vitalianus, o Senado confirmou os 2 Gordianus Imperadores. O programa de governo dos 2 Augustos era democrático: acabar com a polícia secreta, dar uma amnistia aos exilados e inimigos de Maximinus e como é óbvio dar um bónus às legiões. No entanto o governo dos Gordianus não haveria de durar, pois Capellianus (Governador da Numídia) era um inimigo fidagal, e talvez por isso mantêve-se leal a Maximinus. Mais do que isso a Numídia era a casa da poderosa III Legião Augusta, a única que existia na zona. Assim foi lançada uma poderosa ofensiva a Cartago. Gordianus II tentou organizar a resistência, construindo um exército, mas acabou por ser derrotado e morto. Os Gordianus reinaram por apenas 22 dias. Sucederam-lhes Balbinus e Pupienus.

Autoria e outros dados (tags, etc)




Comentários recentes

  • fpeneiras

    A zona de lazer da ponte romana de Monforte foi to...

  • Unknown

    Faça uma pesquisa sobre o periodo histórico do fil...

  • Mylena Souza

    Não sei se já viram esta historia bem feita . No N...

  • João Corbellini

    Está dito acima . O muro foi construído para prote...

  • Fabio Dias

    Como nao entendo muito, sempre tive duvidas de ond...



subscrever feeds